quinta-feira, 24 de julho de 2008

Garotas da Gogo

O vereador de Carazinho Gilnei Jarré deverá gastar o gogó para explicar os motivos da homenagem aprovada em plenário pela Câmara de Vereadores às Garotas da Gogo.
Maria Gorete, a proprietária do estabelecimento, recebeu as honrarias por ocasião do nono aniversário da danceteria.
O motivo alegado pelo ilustre vereador foi um dos mais nobres: a empresa e toda sua equipe de funcionárias proporcionam momentos de descontração para os clientes. Ficou a dúvida se foi uma menção honrosa, honra ao mérito ou relevantes serviços prestados ao município, no caso em particular, aos munícipes.
A questão é polêmica. E só é notícia porque é inusitada. Se a homenagem fosse para um atleta, um educador ou um ínclito ex-prefeito, não teria o mesmo impacto na mídia e o mesmo alcance geográfico. Mas homenagear as Garotas da Gogo é um fato relevante. Se observarmos pela ótica de que uma categoria de trabalhadoras está sendo homenageada, nada mais justo. Agora, se escracharmos nossa hipocrisia de classe média que freqüenta bordéis é uma homenagem indecorosa. Um acinte. Um atentado aos bons costumes.
Nos últimos anos sofremos uma enxurrada de escândalos envolvendo políticos, banqueiros e “laranjas” dos mais variados pomares. São tantas as operações que a Polícia Federal está perdendo a criatividade nos nomes. No flagra, um dos envolvidos escancarou um sorriso debochado diante das câmaras de TV. Nesses casos, as algemas são os únicos momentos de descontração que temos.
Quando a Associação dos Magistrados do Brasil divulgou a lista com os nomes de candidatos a prefeito e vice nas capitais do país, de pessoas que respondem a ações penais ou por improbidade administrativa, qual foi nosso grau de indignação? Existe indecência maior que improbidade administrativa? Esse tipo de “sacanagem” não nos causa mais espanto.
Carazinho deve ser uma cidade desprovida de problemas urbanos, seu povo vive feliz e em estado de graça. Então, homenagear as Garotas da Gogo não tem nada demais, além do que, se verificarmos os projetos das câmaras por esse Rio Grande afora, veremos que a maioria dos encaminhamentos são de homenagens e nomes de rua. Aliás, Alameda Garotas da Gogo seria um belo nome para uma avenida repleta com ipês roxos e amarelos.
Em uma discussão, um amigo comentou jocosamente dando o assunto como encerrado: não vejo motivo para tanta celeuma, pois nada mais justo e louvável que os filhos prestem homenagens às mães (sic).
Não quero ser pessimista, mas acho que a situação do vereador está meio complicada. Haja trololó do Jarré.

2 comentários:

Aguinaldo Medici Severino disse...

boa athos. estória divertida esta. mas parece que estamos em uma época onde os políticos fazem qualquer coisa para que a população não pense no que deve.
inté.

César disse...
Este comentário foi removido pelo autor.