sábado, 2 de janeiro de 2010

Apophis, o asteroide

twitter.com/athosronaldo
O filme 2012 retrata uma catástrofe planetária que teria sido prevista pelos Maias. Nós sabemos que a Terra não acabará em dezembro de 2012 – nós temos que organizar a Copa do Mundo de futebol e os jogos olímpicos na Cidade Maravilhosa logo adiante –, mas a humanidade tem uma necessidade muito grande de convier com a hecatombe, com as tragédias. E os cineastas americanos transformam esses devaneios em uma máquina de fabricar dólares. Assim, milhares de terráqueos e alguns lunáticos foram ao cinema assistir o fim da Terra repleto de efeitos especiais, mortes e destruição.
No entanto, um dado que passou meio despercebido, em virtude das comemorações da virada do ano, a notícia de que um asteroide de nome Apophis está em rota de colisão com a Terra. A data prevista para o choque é 2036. Segundo os noticiários, cientistas russos assumiram o compromisso de salvar a Terra dessa catástrofe. A NASA acha pouco provável e não vê motivo para pânico. Quatro possibilidades em um milhão. Lembremos que a mega-sena da virada cuja possibilidade é de uma para 52 milhões teve dois ganhadores. Tudo bem que as chances são pequenas, mas 26 anos passam num piscar de olhos. Não vamos deixar para resolver essa encrenca em maio de 2035.
Há 60 anos houve um desastre no Maracanã e na semana passada o carrasco Alcides Ghiggia colocou os pés por lá. E parece que foi ontem.
Já que os russos estão com essa incumbência, espero que o diretor da agência espacial russa Anatoly Perminov não permita essa colisão. Penso que o Brasil não deva entrar nesse projeto. O nosso negociador pode confundir colisão com coalizão e sugerir um acordo com o Apophis. Quem faz com Judas faz com Apophis.
O choque com a Terra ocorrerá em 13 de abril de 2036. Na minha santa ignorância eu acho que deveríamos construir uma enorme raquete e deixar que a Maria Sharapova maneje a geringonça. Mas Arquimedes afirmou que precisava de uma alavanca para levantar o mundo. Então, temos tempo de sobra para construir essa alavanca e tirar a Terra da rota do bichano ou o Anatoly passa a bola para Hollywood fazer um mega-projeto e enviar o Tom Hanks ou o filho ou o neto em uma missão especial e espacial para explodir o Apophis.
2036 é logo ali. E eu já estou roendo as unhas. Mas com a certeza de que professor Aguinaldo Físico Severino desconstruirá todas as possibilidades dessa tragédia cósmica, colocando por terra – sem trocadilhos – alguma remota possibilidade. Que venga el toro!

Um comentário:

Guina Medici disse...

Athos meu querido, como vais?
Vou devolver o teu texto - muito bom aliás - com uma pergunta. É possível encontrar um ponto de apoio na própria terra para rebater o asteróide (sem fazer com que a terra chacoalhe um tanto)? Na próxima quinta-feira eu te encontro e discutimos isto.
Abraços
Aguinaldo