terça-feira, 8 de junho de 2010

Arquimedes - A paródia de Joyce



O livro “Arquimedes” não pretende ser um plágio ou uma vã tentativa de se igualar a James Joyce. Longe disso. Os autores reunidos nesse romance coletivo têm em comum a admiração pela sua obra mais instigante “Ulisses” e pelas peripécias do personagem Leopold Bloom no longínquo 16 de junho de 1904. Logo, esse livro nada mais é do que uma simples idolatria ao escritor irlandês.
O Bloomsday é uma festa literária e faz algumas décadas que no dia 16 de junho os amantes da literatura e aficionados por James Joyce encontram-se nos bares e botecos da vida, nos mais diversos recantos do mundo, para recitar trechos de sua obra.
Santa Maria também realiza o Bloomsday com o apoio da Cesma (Cooperativa dos estudantes de Santa Maria) e do bar Ponto de Cinema. Esse encontro etílico-literário já está inserido no calendário cultural da cidade.
A Cesma foi fundada num dia 16 de junho. Assim sendo, a Cesma também consta nas efemérides do Bloomsday. Para os apaixonados por livros e apreciadores de literatura em Santa Maria é uma incrível e agradável coincidência, que nos estimula e responsabiliza culturalmente. E, com a presente edição, nos desafia.
E foi justamente num desses encontros, entre um copo e outro de uísque, que surgiu a ideia: por que não contarmos o dia 16 de junho de 1978 da Santa Maria da Boca do Monte? Em poucas semanas o projeto foi idealizado com o incentivo e apoio dos autores que prontamente aceitaram a inusitada incumbência. Assim, a partir do décimo quinto Bloomsday, começamos essa empreitada de contarmos as idas e vindas de Arquimedes Brum, justamente o dia que foi fundada a cooperativa dos estudantes. É claro, Arquimedes, um professor de física do Maneco, participou dessa assembleia de fundação.
Sempre tivemos em mente que devíamos homenagear Joyce e não copiá-lo. Então, num primeiro momento parecia um projeto arrojado, difícil e o resultado final ser uma miscelânea sem história. Mas com algumas visitas ao Arquivo Histórico e conversas com amigos que viveram intensamente aquele período, o livro tomou corpo e nos enche de enlevo e satisfação. “Arquimedes” pretende, apenas, ser uma modesta homenagem a Joyce e à literatura. E a todos aqueles que viveram ou desejam conhecer um pouco da cidade coração do Rio Grande.

Athos Ronaldo Miralha da Cunha
Santa Maria, 16 de junho de 2010

Demais autores do romance coletivo.

Antonio Candido de Azambuja Ribeiro
Tania Lopes
Raul Giovani Cezar Maxwell
Orlando Fonseca
Humberto Gabbi Zanatta
Aguinaldo Medici Severino
J.J.
Pedro Brum Santos

Lançamento dia 16 de junho de 2010 na Cesma às 17:30 h.

Um comentário:

Djabal disse...

Eu gostaria muito de estar no boteco, revivendo aquilo que o autor sempre quis: conversar, rir, beber, e celebrar as palavras. Que nós conversássemos sobre ele, o decifrássemos e assim, contássemos histórias até o final dos tempos.
Pena, estou confinado em outro lugar, mas saiba que estou junto na jornada. E consegui o livro para ler. Um grande abraço.